Home » Cases » Economia, eficiência e design: três cases que provam o sucesso do uso em lajes nervuradas

Economia, eficiência e design: três cases que provam o sucesso do uso em lajes nervuradas


O número de projetos que passaram a utilizar uma estrutura com lajes nervuradas não para de crescer a cada ano. Com o entendimento da maior produtividade e economia gerados pelo processo, o processo de construção tem se disseminado em projetos cada vez mais diversos, variando de ambientes industriais, comerciais e residenciais.

Isso mostra como, além de barato e eficiente, o uso das lajes nervuradas é uma opção versátil, com sua aparência icônica podendo ser inclusive explorada como elemento marcante de design e arquitetura.

Confira três cases que mostram como diferentes projetos podem aplicar lajes nervuradas para garantir obras mais eficientes e de menor custo com resultados incríveis!

Sede da Petrobrás – Santos (SP)

Para a obra na sede da Petrobrás em Santos, o desafio era criar uma estrutura mais leve, considerando desde o peso, com menor consumo de aço e concreto. Assim, a opção pela laje nervurada foi natural, já que além do menor peso em relação às lajes maciças, também reduz-se os pesos dos pilares e fundações.

No projeto, a Atex forneceu as fôrmas para lajes nervuradas da família Atex 800, que contam com alturas de 200 mm a 400 mm. Além do menor uso de aço e concreto, o uso das fôrmas reduziu drasticamente o uso de madeira, já que elas são posicionadas em um sistema de escoramento próprio, dispensando o uso de compensados.

Sede da Petrobrás - Santos

O escoramento conta com travamentos metálicos que facilitam a instalação em um processo ágil.

Com ciclo de concretagem de oito dias, toda a edificação foi concebida para o uso de laje nervurada, com exceção da cobertura e cisternas, que usaram lajes e vigas convencionais devido aos empuxos de terra.

Dessa forma, a construtora recebeu uma solução eficiente, com um material leve e de fácil manuseio, limpo e tecnicamente econômico.

Logística

Um dos pontos mais importantes na organização de um canteiro de obras é a organização do estoque. Ao considerar a gestão dos insumos e ferramentas utilizados na execução, um material que não será utilizado por todo o tempo da obra pode ocupar espaço vital no trânsito do canteiro.

Assim, a atuação da Atex com uma programação de entregas e retiradas precisas dispensou a necessidade de armazenar as fôrmas.

Hospital Albert Einstein – São Paulo (SP)

Na reforma da Unidade Morumbi do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), a engenharia do projeto teve o desafio de realizar as obras sem gerar incômodos para os pacientes nas áreas que permaneceram em operação. Tudo isso em um complexo de saúde com 67 mil m² de área construída.

O projeto inicial previa a instalação de lajes maciças, mas devido à necessidade da agilidade na execução e de pouca mão de obra no local, buscou-se uma solução que diminuísse o consumo elevado de concreto nas lajes, que torna a obra mais onerosa e demorada.

Hospital Albert Einstein - Unidade Morumbi

Mais uma vez, a opção de utilizar lajes nervuradas como solução para o projeto. O uso de fôrmas da Atex em diferentes alturas e dimensões permitiu executar dos vãos menores aos de maior envergadura definidos no projeto.

Posicionadas diretamente no escoramento, o processo garantiu lajes com ótima estética e acústica, fator de grande importância em ambiente hospitalar. A facilidade de execução garantiu um menor índice de ruídos e incômodos aos pacientes

Além do fornecimento das fôrmas, a Atex realizou o treinamento de todos os profissionais envolvidos na construção para que pudessem executar uma obra com tantas peculiaridades da maneira mais adequada.

Edifício Amélia Teles 315 – Porto Alegre (RS)

Não é só em empreendimentos industriais e comerciais que projetistas buscam uma solução de custos e processos mais eficientes.

No edifício residencial Amélia Teles 315, em Porto Alegre, o escritório Smart! LifeStyle + Design pretendia criar um ambiente inovador, mas que conversasse com as construções vizinhas das décadas de 1950 e 1960.

O uso das lajes nervuradas permitiu vencer grandes vãos, gerando apartamentos de alto nível com planta livre, sem vigas. Cada morador pôde adaptar o layout ao seu gosto graças ao ambiente aberto possibilitado pela laje nervurada.

No projeto, as paredes não exercem função estrutural, a delimitação acontece via design de ambiente, de forma independente da estrutura.

Com as fôrmas da Atex, foi possível executar lajes de 230 m² em menos de 15 dias. O produto foi aplicado em todo o prédio em um período de cinco meses.

admin
Sobre o autor

E ai, o que você achou?

Deixe o seu comentário!