Home » Design e Arquitetura » Laje nervurada pelo mundo: Galeria de Arte da Universidade de Yale

Laje nervurada pelo mundo: Galeria de Arte da Universidade de Yale


Dando continuidade à nossa série sobre obras com laje nervurada de destaque no mundo, saímos de Londres e vamos para New Haven, no estado de Connecticut, nos Estados Unidos. Dessa vez, abordamos a Galeria de Arte da Universidade de Yale, uma das mais tradicionais do país.

A Yale University Art Gallery and Design Center foi construída entre 1951 e 1953. O prédio conta com espaços abertos para exibições e para instalações de estúdios de estudantes de artes e arquitetura.

Yale University Art Gallery - fachada

Conhecendo o projeto

O projeto é de autoria de Louis Kahn. A galeria é considerada a primeira obra de destaque da carreira do arquiteto estoniano-americano – além de ser o primeiro edifício modernista de Yale.

Kahn ficou conhecido por pela sua fusão de design, misturando o chamado estilo internacional com influências poéticas. Sua obra foi marcada por inovações estruturais, graças à sua proximidade com engenheiros e empreiteiras, e profundo refinamento.

A Galeria foi construída em alvenaria, vidro, concreto e aço. O maior destaque visual é provavelmente a grande parede sem janelas na fachada principal.

O estilo internacional

Estilo Internacional – ou International Style – é o termo usado para referir-se à arquitetura originada da vertente funcionalista, que data da primeira metade do século XX. As principais referências da origem do movimento são as obras dos arquitetos Le Corbusier, Robert Mallet-Stevens e da escola alemã Bauhaus.

Como uma das bases do modernismo, que visava negar referências históricas, o estilo seria internacional justamente por se adaptar às necessidades de qualquer país. O funcionalismo provinha da negação das referências, consideradas pelos líderes do movimento como ornamentos e, assim, desnecessários.

Yale University Art Gallery - Lajes Nervuradas

A valorização da função e da estrutura se expressa na presença marcante de pilotis, cores puras e o concreto armado aparente. Apesar de não ser a intenção dos seus fundadores, o estilo internacional se distanciou da pura função e foi difundido como um estilo estético também.

A visão de Kahn

Com o projeto da Galeria de Arte de Yale, Louis Kahn visava justamente dar mais vida ao que se tornou a arquitetura modernista. A proposta do arquiteto era manter o funcionalismo, mas com o espírito monumental de obras antigas.

Historiadores da área afirmam que a Galeria foi uma resposta de Kahn para o período após a Segunda Guerra. Os espaços da estrutura passam por transformações graduais de acordo com as diferentes iluminações naturais de cada momento do dia.

A fachada simples – alguns diriam minimalista – contrasta com o estilo gótico presente na maior parte dos prédios de Yale. Provavelmente, você não encontrará outra estrutura na universidade que abuse de texturas de tijolos e concreto aparente. O toque artístico de Kahn estava justamente na sobreposição desses elementos rústicos com superfícies refinadas.

Yale University Art Gallery - Lajes Nervuradas 02

E as lajes nervuradas?

Em uma estrutura que tanto valoriza o concreto aparente, a escolha por lajes nervuradas não surpreende.

E por considerar o tipo de espaço em questão – uma galeria de artes com suporte para jovens artistas instalarem seus estúdios – identificavam-se duas necessidades básicas:

  • Uma estética atrativa, mas que não tirasse de foco os objetos da Galeria;
  • Vãos livres e pés-direitos altos para permitir a instalação das peças de arte.

Na Galeria de Arte de Yale, Kahn inovou no uso das lajes nervuradas em uma aplicação que só poderia ser vista em um ambiente de vanguarda. Usada como teto de um pavimento e piso do outro, a laje nervurada com fôrmas de design triangular criou um ambiente único.

Yale University Art Gallery - Escadas

A escada central reflete o padrão triangular das lajes, criando uma homogeneidade para o ambiente.

Cada fôrma (e formato) de elementos presentes na Galeria de Arte de Yale cria um jogo de luz e sombra que é facilmente perceptível de fotos externas do local. Um exemplo de como a laje cumpre uma função estrutural, estilística e sensorial em um espaço.

Yale University Art Gallery - Exterior

Assim encerramos mais uma edição da nossa série “Laje Nervurada pelo Mundo”. O que achou? Já conhecia a Galeria de Arte de Yale? Deixe seus comentários no post e fique à vontade para sugerir outros projetos para falarmos aqui no Blog da Atex.

admin
Sobre o autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.