Home » Laje » Artigo Técnico

Artigo Técnico


A partir da vigência da NBR 15575, em 2013, voltou a ter discussão sobre o emprego de laje nervurada, com economia, em situação de incêndio e em desempenho acústico.

Na primeira situação encontramos a NBR 15200, desde 2004, atualizada em 2012. Nela está claro que, para resistência a fogo, de acordo com um determinado TRRF (NBR 14432/2001) deve-se ter uma largura mínima da nervura (b mín) e um internamento mínimo da ferragem (C1) ambos medidos no centro de gravidade da armação.

Para compartimentação do fogo, compartimentação vertical onde houver, a capa terá uma espessura mínima (contando também com o contra piso) e um internamento mínimo da ferragem.

Nada alterou desde a edição inicial em 2004.

Para facilitar a leitura apresentamos os quadros resumo destas duas exigências ressaltando que, em 2012, foi introduzido na NBR 15200 o TEMPO EQUIVALENTE que, calculado especificamente para cada edificação, possibilita a redução em 30 min. do TRRF imposto pela NBR 14432/2001.

RESISTÊNCIA

TRRF (min)

b mín/C1

TRRF REDUZIDO (min) *

b mín / C1

30

80/10

30

80/10

60

100/25

30

80/10

90

120/35

60

100/25

120

160/45

90

120/35

*TRRF reduzido pelo tempo equivalente previsto na NBR 15200/2012:

COMPARTIMENTAÇÃO

TRRF (min)

CAPA/C1 (mm)

TRRF REDUZIDO (min) *

CAPA/C1 (mm)

 

CONCRETO + REVESTIMENTO DE AREIA E CIMENTO

30

60/10

30

60/10

50      +       10

60

80/10

30

60/10

50      +       10

90

100/15

60

80/10

50      +       30

120

120/20

90

100/15

70      +       30

 

 

 

Quanto ao Desempenho Acústico a recente NBR 15575/2013, parte 3, item 12, pág. 19, 20 e 21, estabelece que o Nível de Pressão Sonora de Impacto-padrão Ponderado no SISTEMA DE PISO, entre unidades habitacionais, seja menor ou igual a 80 decibéis.

Considerando o trabalho LAJE NERVURADA: ANÁLISE DA PERFORMANCE ACÚSTICA PARA RUÍDO DE IMPACTO. Daniel Pereyron, Arq. e Urbanista e Jorge Luiz Pizzutti dos Santos, Eng. Civil, PhD. Univ. Fed. de Santa Maria-RS, foram obtidos os seguintes resultados (pag 1465):

Laje nervurada altura 22,5 + 5,5 cm (CAPA) …………………………….  61 decibéis

Laje nervurada altura 22,5 + 5,5 cm (CAPA) + contra piso +

+forro de gesso ……..  55 decibéis

Ensaiando outras lajes, no trabalho ESTUDO DE TIPOLOGIAS DE LAJES QUANTO AO ISOLAMENTO AO RUÍDO DE IMPACTO, Daniel Pereyron, Arq. e Urbanista, obteve os seguintes resultados (pag 80):

Laje nervurada altura 22,5 + 5,5 cm (CAPA) …………………………….. 62 decibéis

Laje maciça h = 12 cm …………………………………………………………… 60 decibéis

ou seja, o desempenho acústico de uma laje nervurada de capa 5,5 cm é praticamente igual ao de um laje maciça de 12 cm de espessura.

Conclusão: A laje nervurada, que é a laje maciça sem o concreto inútil da região de tração inferior, continua sendo uma econômica solução, atendendo as exigências de incêndio e acústica.

Para vãos a partir de 5 m esta economia se acentua, pois, com uma pequena capa, completada pelo contra piso, atende compartimentação do incêndio. Com uma determinada largura mínima de nervura atende resistência a fogo. Por fim ultrapassa a expectativa no atendimento de acústica.

Uma laje maciça nestas mesmas condições estruturais consumiria 20 a 30% a mais de concreto e aço.

*Eng. Civil Marcos da Costa Terra CREA 9702/D-MG

 

Marcos da Costa Terra

admin
Sobre o autor

E ai, o que você achou?

Deixe o seu comentário!