Home » Laje » Laje nervurada: a importância da qualidade das fôrmas

Laje nervurada: a importância da qualidade das fôrmas


A opção por utilizar lajes nervuradas na construção civil carrega uma série de benefícios e vantagens tanto para o processo como para o resultado final.

Além de tornar a obra mais econômica com a redução de concreto e aço e criar ambientes com vãos mais amplos, o modelo torna o processo mais produtivo pela facilidade de montagem dos sistemas de escoramento e das fôrmas.

Contudo, são justamente as fôrmas para as lajes nervuradas – também conhecidas no mercado como cubetas ou cabaças – que geram dúvidas em engenheiros civis e calculistas estruturais responsáveis pelas obras. E se há motivos principais que geram essas dúvidas, esses são os impactos em custos e produtividade.

Dessa forma, vamos mostrar como a qualidade da fôrma, acompanhada pela estrutura base utilizada e seus sistemas de escoramento, podem garantir uma obra mais ágil, organizada e econômica.

Facilidade de montagem

Por ser um modelo de produção em ascensão, pode gerar dúvidas em profissionais mais tradicionais. E um dos principais mitos que envolvem o uso de laje nervurada é que o processo, apesar de reduzir os gastos com insumos da obra, é mais oneroso no que tange a mão de obra.

Facilidade na montagem da laje nervurada

Contudo, uma das principais vantagens de projetos que usam laje nervurada é a facilidade da montagem, sem necessidade mão de obra especializada.

Nas soluções oferecidas pela Atex, tem-se os sistemas de escoramento específicos para cada família de fôrmas, em que elas são posicionadas sobre as vigas primárias e secundárias, e o sistema Cabetex, no qual as escoras fixas são posicionadas em réguas lineares.

Esse processo é feito sem maior dificuldade, com rápida instalação do escoramento e do posicionamento das fôrmas para a concretagem, como na desmontagem após a cura do concreto sem retirada das escoras fixas.

Qualidade da fôrma

Não é nenhuma novidade que uma obra envolve manuseio de ferramentas e materiais pesados. Junte a pouca sutileza do ambiente à alta pressão que cada fôrma será colocada sob, e fica clara a necessidade de uma peça de qualidade e alta resistência.

Fôrma nervurada comum

A execução de lajes nervuradas em obras se dá, normalmente, pela locação das fôrmas. A perda de unidades devido a desgastes e danos sofridos pode acarretar em um gasto adicional previsto no contrato de locação. Assim, utilizar fôrmas de uma qualidade superior pode levar a uma otimização dos custos do projeto.

Para a Atex, oferecer uma fôrma de alto desempenho é prioridade na execução de projetos inovadores e eficientes. Os mais de 92 modelos são fabricados com as melhores resinas termoplásticas, utilizando polipropileno com tecnologia de ponta.

Fôrmas nervuradas Atex

Os modelos são oferecidos em diferentes alturas, atendendo a todos os tipos de projetos, desde vãos menores até os de maior envergadura. Por serem autoportantes, ainda dispensam o uso de compensados de madeira, reduzindo o impacto ambiental do canteiro de obras e proporcionando um ambiente mais organizado.

Ciclo da Forma

Devido à alta qualidade das Fôrmas Atex, elas possibilitam inúmeras reutilizações no que chamamos de Ciclo da Fôrma. Após a execução de um projeto, elas são limpas para serem usadas novamente.

Ciclo da fôrma Atex

Se alguma unidade sofrer uma avaria e não puder ser reutilizada, seu material é reaproveitado para a fabricação de espaçadores, utilizados na ferragem da estrutura de execução das lajes nervuradas. A maior vantagem do processo é a não geração de resíduos ao ambiente.

admin
Sobre o autor

1 Comentário

Deixe o seu comentário!