Home » Sustentabilidade » Ergonomia em obras: cuidados na execução de lajes

Ergonomia em obras: cuidados na execução de lajes


Todo o tipo de obra da construção civil exige uma série de procedimentos de segurança, sejam eles voltados aos indispensáveis Equipamentos de Segurança Individual (EPIs) ou a processos corretos e ambiente adequados. Mas há um outro cuidado indispensável para minimizar os riscos nos canteiros de obras: a ergonomia.

E como todo conceito importante, reforçamos com destaque a sua definição. Primeiramente, ergonomia é uma palavra de origem grega.

O prefixo “ergo” significa trabalho, enquanto “nomos” quer dizer regras. Assim sendo, em uma conceituação, ergonomia é definida como as regras do trabalho.

Atualizando o conceito, podemos usar a referência da IEA – Associação Internacional de Ergonomia. Ela define o termo como: “A disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema”

A Norma Regulamentadora 17

No âmbito nacional, a Norma Regulamentadora 17 (NR-17) estabelece os parâmetros para garantir as condições físicas de conforto e segurança no canteiro de obra, evitando problemas de saúde decorrentes dos esforços causados em obras.

Os cuidados apontados pela norma são válidos para todos os procedimentos definidos como parte do processo de concretagem pela NBR 14.931 Execução de Estruturas de Concreto – Procedimentos.

Procedimentos ergonômicos na concretagem

Como vários outros processos da construção civil, todas as fases da execução de uma laje envolvem o manuseio de equipamentos pesados de forma contínua. Assim, os cuidados com postura, posição de trabalho e métodos corretos poderão garantir um nível inferior de cansaço físico, evitando lesões por esforço repetitivo e outros problemas de saúde para os trabalhadores.

Listamos agora algumas sugestões de procedimentos que, com a ergonomia adequada, podem garantir o bem-estar da equipe de obra.

Lançamento do concreto mais próximo da posição final

Além de evitar acúmulo do material em um único ponto, o que pode comprometer a estrutura de suporte preliminar, isso ainda diminui a quantidade de concreto que é aplicada pelo trabalho manual dos trabalhadores com pá e enxada, evitando lesões por esforço repetitivo (LER).

Ergonomia na concretagem

Uso de vibradores de imersão

Os vibradores de imersão garantem que toda superfície da laje seja perfeitamente preenchida de concreto. A prática, além de ser essencial para a estrutura final, oferece melhor ergonomia, já que é feita com o trabalhador de pé, em posição levemente inclinada.

Uma alternativa muito recorrente é a vibração da armadura ou das fôrmas. Além de comprometer os materiais envolvidos, ainda é um procedimento insalubre, já que exige grande esforço físico e posições desagradáveis, principalmente se realizada de forma frequente.

Equipamentos de proteção individual

Utilizar os EPIs próprios de cada atividade é obrigatório em qualquer obra. Além da proteção a impactos com o uso do capacete e à luz solar com os óculos protetores, a execução de lajes também exige o uso de luvas protetoras. O procedimento evita problemas como a dermatite, que pode ser causada pelo contato da pele com substâncias como cimento e solventes.

Ergonomia nas obras

Betoneiras automáticas ou móveis

As betoneiras são essenciais no processo da concretagem, já que se trata do equipamento responsável pela mistura do cimento, água e agregados que formam o concreto.

São equipamentos pesados que, com o esforço para sua movimentação, podem causar problemas à região lombar dos encarregados.

Assim, é recomendado o uso de betoneiras automáticas, que possuem esteiras rolantes, ou móveis, implantadas em caminhões com sistema hidráulico.

Retirada de fôrmas

Após a cura do concreto na execução de lajes nervuradas com fôrmas plásticas, o momento de retirada também é crucial na produtividade da obra. Afinal, as fôrmas podem ser reutilizadas em novos pavimentos da construção e o processo de saída de cada unidade toma um tempo considerável no canteiro.

O processo correto exige que o trabalhador esteja sobre uma plataforma estável para garantir equilíbrio. Em altura superior a 2 metros, é obrigatório o uso de cinto de segurança paraquedista.

É importante utilizar um material de apoio para evitar que a fôrma caia e machuque algum trabalhador.

Ginástica Laboral

Esse tipo de ação é comum em escritórios, mas também cumpre função importante no canteiro de obras.

Ela consiste em sessões de exercícios leves, com foco no alongamento de músculos do pescoço, membros e tronco, que duram cerca de 10 minutos.

A ginástica laboral pode ser realizada no início da jornada, em um momento de intervalo ou como relaxamento ao final do período.

admin
Sobre o autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.