Home » Design e Arquitetura » Laje nervurada pelo mundo: Centro Educativo Burle Marx

Laje nervurada pelo mundo: Centro Educativo Burle Marx


Após um passeio por Índia, Espanha, Portugal e Estados Unidos, nossa série que traz para você grandes projetos com lajes nervuradas finalmente chega ao Brasil. Hoje vamos conhecer o Centro Educativo Burle Marx, que compõe o complexo do Instituto Inhotim, museu internacional de arte contemporânea localizado em Brumadinho, Minas Gerais, a 60km da capital Belo Horizonte.

Centro Educativo Burle Marx área interna

O prédio serve a dois propósitos primariamente: oferece programas educacionais de qualificação profissional para os habitantes da região de Brumadinho, além de servir como centro de organização e desenvolvimento de atividades de museu.

Explorando o projeto

Localizado no limite do museu, junto à alameda de acesso principal, o prédio foi concebido em um formato de caixa sobre o lago artificial que adorna o belo projeto paisagístico que destaca inúmeras diferentes espécies botânicas.

Para dar ênfase ao exuberante paisagismo local, com a circulação do prédio é feita por varandas e espaços de convívio criados justamente para contemplação.

Centro Educativo Burle Marx área externa

O pavilhão é rebaixado e posicionado em local estratégico, sobrepondo os espelhos d’água que também circundam a caixa, próximo à praça principal. Essa praça leva ao anfiteatro e, na sequência, à biblioteca local, aos ateliês e ao auditório.

A cobertura do edifício conta com uma praça que também serve de passagem e conexão entre os diferentes ambientes.

Lajes nervuradas na estrutura do Centro Educativo Burle Marx

O espaço reduzido disponível para a construção foi solucionado por uma estrutura horizontal, em um único pavimento. A modulação de três lajes nervuradas e independentes racionalizou a montagem e eliminou a necessidade técnica de juntas de dilatação entre as colunas.

Centro Educativo Burle Marx área de estudo

O desnível do terreno propiciou a criação do anfiteatro ao ar livre, entre a praça de acesso e o auditório central.

O projeto, que tem como principal característica a mistura da arquitetura ao paisagismo local, mostra estruturas que percorrem um círculo de espelhos d’agua que também se encontram entre os panoramas do edifício.

As lajes nervuradas sobre a biblioteca e as salas de aula realizam a expansão do território, com grandes vãos que propiciam a instalação de diversos postos para estudantes bem como o preenchimento dos salões destinados a exposições categóricas do museu.

Esse tipo de estrutura permite vencer vão maiores, proporcionando grandes espaços livres que possibilitam melhor trânsito e instalação de mesas para um ambiente descontraído, leve e tranquilo tanto par ao estudo como para a contemplação artística.

A cobertura é constituída por lajes nervuradas em concreto aparente, moduladas para proporcionar organização e economia dos materiais utilizados, conceito que se estende por todo o Inhotim.

O processo de construção do Centro Educativo Burle Marx dispensou as juntas de dilatação entre as lajes. Assim, as estruturas da biblioteca, ateliês, acolhimento e auditório contam com lajes independentes. O pavimento construído sobre auditório, único bloco superior do edifício, também utilizou a estrutura nervurada para garantir leveza e viabilizar o projeto.

admin
Sobre o autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.