Home » Design e Arquitetura » Laje nervurada pelo mundo: Metrô de Washington D.C.

Laje nervurada pelo mundo: Metrô de Washington D.C.


Vamos dar uma volta de metrô na capital da maior potência do planeta? Washington (EUA) é o destino dessa edição do lajes nervuradas pelo mundo, nossa série sobre incríveis projetos que usam essa estrutura.

Laje nervurada pelo mundo - entrada do Washington Metro

O Washington D.C. Metro atende cerca de 700 mil pessoas diariamente. Com uma das estruturas de arquitetura brutalista mais populares do mundo. A maior parte das estações foram concebidas por Harry Weese, arquiteto modernista de Chicago.

Conhecendo o Projeto

O metrô de Washington foi inaugurado em 1976. A estética desenvolvida por Weese abusou do concreto aparente em sua composição. Ele aplicou elementos principalmente brutalistas, mas também se inspirou na arquitetura neoclássica da cidade (vide Casa Branca), que transmite a sensação de poder dos órgãos federais da região.

O sistema do Washington Metro conta com seis linhas, que abrangem cerca de 188 km passando por 91 estações, com outras sete já em construção.

Laje Nervurada pelo Mundo Washington Metro

Um dos destaques do projeto de Weese foi a parceria com o designer de iluminação Bill Lam, que permitiu a aplicação de um sistema de iluminação indireta que foi importante para tornar as estruturas mais eficientes e sustentáveis, o que nos leva ao próximo ponto…

E as lajes nervuradas?

As mais de 90 estações do metrô da capital americana apresentam diferentes estilos de design, mas alguns deles são predominantes.

A arquitetura mais presente nas estações foi o formato cilíndrico com toda a superfície superior marcada por cavidades – solução diretamente derivativa das lajes nervuradas. Quase como se as estações fossem “enroladas” sob um gigante waffle.

Ao todo, 32 estações contam com a estética nervurada com concreto aparente, a maioria delas no centro da capital, inauguradas em 1976, junto do metrô. Em 1991, as duas últimas estações no estilo (Waterfront e Navy Yard) foram inauguradas no lançamento da linha verde. O objetivo de Weese era criar espaços monumentais de uso público.

O efeito de iluminação, desenvolvido por Lam, com a presença das nervuras e dos vazios cria um jogo de luz e sombra dentro das estações, o que engrandece a estrutura ao mesmo tempo que transmite uma sensação aconchegante para os usuários.

Laje nervurada pelo mundo - Washington Metro

A estação de Union Station foi pintada de branco em 2017, enquanto as outras passaram por uma restauração, mas mantiveram a estrutura em concreto aparente intactas.

Em 2007, as estações nervuradas do Metro foram escolhida entre as 150 obras mais importantes da arquitetura americana pelo AIA (American Institute of Architects), única obra de estilo brutalista na seleção.

Os 11 estilos do Washington Metro

No total, as estações do Washington Metro podem ser divididas em até  11 identidades arquitetônicas diferentes, segundo artigo do site Greater Greater Washington. Todas as estruturas subterrâneas se destacam com os estilos dos tetos.

Laje nervurada pelo mundo - estilos do Washington Metro

Além das estações em waffle, que têm em sua estrutura de concreto a aparência de fôrmas de lajes nervuradas bidirecionais, ainda há outras com teto e paredes cilíndricas, variando apenas as divisões da superfície em quatro ou seis arcos. Essas se assemelham às fôrmas de laje nervurada unidirecional.

As estações na superfície também tiveram design diferenciado, com estilos distintos para a cobertura da área de embarque. Harry Weese também foi responsável pelo chamado gull design, estações em que as coberturas têm formato de asa de gaivota.

Uma dos cartões postais da capital americana, o metrô de Washington mostra a versatilidade da solução, que além de proporcionar leveza e economia ao projeto, é capaz de gerar obras arquitetônicas únicas!

admin
Sobre o autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.